Publicidade/DigiSat

Resolução da ONU fica aqu√©m das medidas necess√°rias, diz embaixador

Em discurso para justificar o voto favor√°vel do Brasil, o embaixador do pa√≠s na ONU, Norberto Moretti, citou que resoluções melhores do que a aprovada na quarta-feira (15/11) foram rejeitadas

Por Victor Correia em 16/11/2023 às 14:26:23
Discurso do Brasil também criticou a demora do Conselho de Segurança para agir, e voltou a defender a solução dos dois Estados como caminho para paz na região - (crédito: Michael M. Santiago / GETTY I

Discurso do Brasil também criticou a demora do Conselho de Segurança para agir, e voltou a defender a solução dos dois Estados como caminho para paz na região - (crédito: Michael M. Santiago / GETTY I

Para o governo brasileiro, a resolução aprovada na quarta-feira (15/11) no Conselho de Segurança das Nações Unidas (ONU) fica aquém das medidas necess√°rias para encerrar as hostilidades entre Israel e Hamas. Ao justificar o voto favor√°vel do Brasil à medida, o embaixador brasileiro na ONU, Norberto Moretti, citou que outras resoluções melhores foram propostas no órgão, mas rejeitadas.

O Itamaraty divulgou nesta quinta-feira (16) a íntegra do discurso de Moretti após a votação. O Brasil reafirmou sua defesa da solução de dois Estados para a região, e frisou que as violações dos direitos humanos internacionais devem ser encerradas imediatamente. A explicação de voto também criticou a morosidade do Conselho de Segurança em aprovar uma resolução sobre a guerra.

De acordo com o discurso do embaixador, a resolução de ontem foi bem-vinda, mas chega tardiamente. Ele destacou que o Conselho deveria ter agido no primeiro dia do conflito, em 7 de outubro. Porém, a avaliação é que a medida aprovada é menos enérgica do que defende o Brasil.

"Antes do texto adotado hoje, resoluções mais abrangentes e oportunas foram propostas, incluindo uma apresentada pelo Brasil. Vetos sucessivos, o espectro de ameaças de veto ou a falta de um processo real de negociação as impediram", enfatizou Moretti. Ele citou também que a Assembleia Geral da ONU teve que agir para pedir a proteção de civis e a abertura de corredores humanit√°rios.

"Infelizmente, a resolução que acabamos de adotar fica aquém dessas medidas audaciosas, mas necess√°rias. Esperamos que, se verdadeiramente e urgentemente implementada, a decisão de hoje pelo menos mitigue a abomin√°vel situação que temos diante de nós", acrescentou.

Brasil defende autonomia palestina e paz com Israel

A fala citou ainda os mais de 11 mil mortos palestinos na guerra, o deslocamento forçado de 1,5 milhão de palestinos e o número "vergonhosamente desolador" de crianças mortas. O diplomata destacou os reféns que ainda não foram libertados pelo grupo Hamas, e os mais de 100 trabalhadores humanit√°rios mortos, incluindo funcion√°rios da própria ONU.

"Todas essas violações do direito internacional humanit√°rio devem cessar. Agora. Para todos os civis, palestinos e israelenses igualmente", pontuou o embaixador. Ao encerrar o discurso, Moretti citou a defesa do Brasil pela autonomia da Palestina e pela paz na região.

Apesar da resolução aprovada, Israel j√° disse que não vai seguir a determinação de cessar-fogo humanit√°rio.

Fonte: Correio Braziliense

Comunicar erro
Publicidade/Eletrotech

Coment√°rios

Publicidade/Armarinho Morais