Publicidade

OMS: doenças não transmissíveis causam 17 milhões de mortes prematuras

Pandemia agravou quadro, ao atrasar e interromper cuidados de saúde

Por Paula Laboissière - Repórter da Agência Brasil - Brasília - Edição: Nádia Franco em 21/09/2022 às 17:42:26
- Foto: REUTERS/Denis Balibouse/Direitos Reservados

- Foto: REUTERS/Denis Balibouse/Direitos Reservados

A Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou hoje (21) que as doenças não transmissíveis são responsáveis por 17 milhões de mortes prematuras todos os anos. O grupo inclui doenças cardiovasculares, câncer, diabetes e doenças respiratórias crônicas. A entidade cobrou de líderes mundiais ações urgentes de combate ao que se refere como a principal causa de morte no mundo.

Dados da OMS mostram que as doenças não transmissíveis respondem por quase três quartos das mortes registradas no planeta. Todos os anos, 17 milhões de pessoas com menos de 70 anos morrem em decorrência desse tipo de enfermidade, sendo que 86% delas vivem em países de baixa e média renda.

"A pandemia de covid agravou ainda mais o fardo das doenças não transmissíveis, ao atrasar e interromper o cuidado à saúde. Nos primeiros meses da pandemia, 75% dos países reportaram ter interrompido serviços essenciais de combate às doenças não transmissíveis por conta das restrições de lockdown [confinamento]."

A OMS lembrou que, embora todos os países-membros da Organização das Nações Unidas (ONU) tenham se comprometido a reduzir as mortes prematuras por doenças não transmissíveis em um terço até 2030, poucos se encontram atualmente no caminho certo par alcançar a meta.

"Esforços globais urgentes são necessários para voltar aos trilhos, alcançar as metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e reduzir as mortes prematuras por doenças não transmissíveis", finalizou a OMS.

Fonte: Agência Brasil

Comunicar erro
Publicidade

Comentários

Publicidade