Publicidade

Ciro Nogueira diz que 3ª via teria chance se houvesse "união" entre candidatos

Ministro da Casa Civil afirmou que acredita em 2º turno entre Lula e Bolsonaro. Segundo ele, também, vice escolhido para compor chapa na campanha à reeleição do chefe do Executivo precisa ser de "extrema confiança"

Por Ingrid Soares em 11/01/2022 às 15:50:43
(crédito: EVARISTO SA)

(crédito: EVARISTO SA)

O ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira (PP), afirmou nesta terça-feira (11/1) que a terceira via "poderia até ter uma viabilidade" se houvesse união entre os candidatos. Entretanto, devido à "fragmentação", aposta em um segundo turno entre o presidente Jair Bolsonaro (PL) e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). As declarações ocorreram durante entrevista à Jovem Pan.

"São duas candidaturas já consolidadas, isso dá um certo desespero de candidaturas que não estão se viabilizando para tentar essa situação da terceira via. A terceira via poderia até ter uma viabilidade no nosso país se houvesse uma união, mas, com essa fragmentação que acontece hoje, e com dois candidatos que têm um piso de um terço do eleitorado, não vejo possibilidade nenhuma de não termos Jair Bolsonaro e o ex-presidente Lula no segundo turno", apontou.

O ministro destacou ainda que o vice escolhido para compor a chapa na campanha presidencial à reeleição de Bolsonaro precisa ser uma pessoa de "extrema confiança".

"Eu defendo que a pessoa que seja escolhida pelo presidente, seja uma pessoa de extrema confiança, que dê tranquilidade para o presidente e que não seja uma pessoa que venha trazer insegurança e conflitos no futuro governo. Eu defendo que essa pessoa seja de total confiança do presidente", completou.

Vice

Por fim, ao ser perguntado sobre possíveis nomes ventilados ao cargo de vice-presidente na chapa de Bolsonaro, como o ministro da Defesa, Walter Braga, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, ou ele próprio, Nogueira disse que os citados são "grandes nomes", mas que ainda não houve convite. A definição, segundo ele, deverá ficar para abril.

"Esses nomes que você citou são grandes nomes. Mas, até hoje, o presidente, em momento nenhum, fez algum convite ou fez sondagem. Acho que essa escolha, nós iremos fazer lá para o mês de abril".

Fonte: Correio Braziliense

Comunicar erro
Publicidade

Comentários

Publicidade