Publicidade/DigiSat

Cantora gospel viraliza com música autoral sobre exploração sexual de crianças na Ilha de Marajó

A cantora gospel Aymeê se tornou um fenômeno nas redes sociais após sua apresentação no programa “Dom Reality”, onde cantou a música autoral “Evangelho de Fariseus”, que aborda a questão da exploração sexual de crianças na Ilha de Marajó, no Pará.

Por Francisco Marcos Pereira em 23/02/2024 às 17:24:04

A cantora gospel Aymeê se tornou um fenômeno nas redes sociais após sua apresentação no programa “Dom Reality”, onde cantou a música autoral “Evangelho de Fariseus”, que aborda a questão da exploração sexual de crianças na Ilha de Marajó, no Pará. O vídeo de sua performance viralizou e chamou a atenção de diversos espectadores. Nas redes sociais, influenciadores também falaram sobre o assunto. “Vocês sabem o que acontece na ilha de Marajó? Tráfico humano e prostituição infantil. Marajó tem o menor Índice de Desenvolvimento Humano do Brasil e há um grande esquema de tráfico humano e prostituição infantil na ilha… Nós clamamos aos políticos, autoridades e órgãos públicos, ações e respostas. Aymeê, sua voz ecoou e nós estamos aqui”, postou Juliette, campeã do “BBB 21”.

Nascida em Belém, no Pará, em 26 de novembro de 1995, Aymeê atualmente reside em Redenção, no sul do Estado. Com mais de 1,3 milhão de seguidores no Instagram, a cantora também é popular no TikTok, com 295 mil seguidores, e no YouTube, onde possui 150 mil inscritos. Ela acredita na importância da união entre fé e cultura em suas composições musicais. Segundo a gravadora da artista, sua música é uma expressão dessa fusão, enriquecendo sua arte. Além do gospel, ela explora outros gêneros como MPB, pop, soul, indie e samba. Nas redes sociais, Aymeê compartilha reflexões sobre sua fé e experiências espirituais.

Siga o canal da Jovem Pan News e receba as principais notícias no seu WhatsApp! WhatsApp

O governo federal emitiu comunicado dizendo ser falsa a informação de que cancelou as ações, políticas e projetos voltados a Marajó. “Em maio de 2023, o Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania criou o Programa Cidadania Marajó, um novo marco em políticas públicas para a região. O antigo programa, intitulado ‘Abrace o Marajó’, alvo de críticas e denúncias, esse, sim, foi revogado. O governo gederal tem as crianças e adolescentes como prioridade absoluta, e parte da premissa de que, para garantir direitos, cidadania e mudar, de fato, a realidade das pessoas, é preciso dar voz à população marajoara e apresentar políticas robustas e eficazes”, diz trecho da nota.

*Reportagem produzida com auxílio de IA

Fonte: Jovem Pan

Comunicar erro
Publicidade/Eletrotech

Comentários

Publicidade/Armarinho Morais