Publicidade/DigiSat

PRF-PB recupera quatro veículos e apreende mercadoria sem nota fiscal avaliada em mais de R$ 40 mil

A fiscalização de mercadorias busca coibir a circulação com documentação inid√īnea, irregular ou sem nota fiscal, visando combater a sonegação fiscal.

Por PB Agora - FELIPHE ROJAS em 01/06/2023 às 15:36:55
- Foto: Reprodução/Divulgação

- Foto: Reprodução/Divulgação

A Pol√≠cia Rodovi√°ria Federal (PRF) na Para√≠ba no decorrer das ações de fiscalizações realizadas na √ļltima quarta-feira (31), recuperou quatro ve√≠culos, sendo tr√™s deles adulterados e um com registro de apropriação indébita. Durante as ações, foi flagrado uma carga de produtos aliment√≠cios industrializados sem a comprovação fiscal necess√°ria para o transporte.

Na manhã de ontem (31), no munic√≠pio de Teixeira, equipe da PRF realizava ação conjunta com a Pol√≠cia Militar (PM), quando visualizou, estacionada em um posto de combust√≠veis, uma Honda NXR 150 Bros com a placa de identificação fora dos padrões estabelecidos. Prontamente as equipes policiais realizaram a abordagem, sendo constatado, durante os procedimentos de identificação, que ela estava adulterada. Foram realizadas dilig√™ncias para identificar o suposto propriet√°rio, mas não foi obtido √™xito. Diante dos fatos, a moto foi conduzida para a Delegacia de Pol√≠cia Judici√°ria por onde passar√° pelos tr√Ęmites cab√≠veis.

Também na manhã do mesmo dia, desta vez no munic√≠pio de Patos, em ação conjunta com a Pol√≠cia Militar, uma moto Honda CG foi avistada sem a placa de identificação. Após consultas por meio de outros elementos identificadores, foi poss√≠vel verificar que a moto tinha um registro de roubo/furto ocorrido no munic√≠pio de Brejinho/PE em setembro de 2017. Não foi poss√≠vel identificar quem estava na posse na moto. Sendo assim, ela foi encaminhada para as autoridades respons√°veis por dar prosseguimento a devolução ao seu leg√≠timo dono.

No final da tarde, em João Pessoa, capital paraibana, policiais abordaram um Toyota Corolla, conduzido por uma mulher. Durante consulta aos sistemas de segurança, foi verificada a exist√™ncia de um registro de apropriação indébita. Contudo, a condutora, informou que j√° havia quitado os débitos da compra do ve√≠culo, este que, por sua vez, havia sido comprado por meio de uma entrada paga em espécie, sendo dado outro ve√≠culo na transação e o valor restante foi debitado por meio de carta de crédito. Ela relatou que a ag√™ncia de automóveis não fez a transfer√™ncia da propriedade. Sendo assim, o ve√≠culo foi recolhido, encaminhado para as autoridades cab√≠veis e a condutora acompanhou a equipe na condição de testemunha.

No per√≠odo da noite, no munic√≠pio de Alhandra, agentes da PRF abordaram um Citroen Jumpy. Foi dado in√≠cio à fiscalização minuciosa, sendo apontado que o carro estava adulterado. Por meio da per√≠cia policial, foi poss√≠vel chegar a conclusão de que o automóvel tinha um registro de roubo/ furto ocorrido em João Pessoa em fevereiro deste ano. O condutor, um home de 34 anos, relatou que o carro pertence ao seu patrão, este que, teria supostamente comprado por um leilão. Diante dos fatos, o homem foi detido e encaminhado para as autoridades respons√°vel e poder√° responder criminalmente por receptação.

Cerca de duas horas após a √ļltima ação, também no munic√≠pio de Alhandra, policiais abordaram um furgão M.benz 516. Durante inspeção no seu interior foram localizadas 300 caixas de biscoito e 50 fardos de leite em pó, mercadoria avaliada em aproximadamente R$ 41.260,00. Foi solicitada a comprovação fiscal necess√°ria para fazer o transporte da mercadoria. O condutor, um homem de 34 anos, não apresentou a nota fiscal, o que configura o crime de descaminho. Diante das circunst√Ęncias flagradas, a mercadoria foi encaminhada para as autoridades da Receita Estadual, por onde passar√° pelo tr√Ęmite burocr√°tico cab√≠vel. Tais como pagamento de impostos e multa.

A fiscalização de mercadorias busca coibir a circulação com documentação inidônea, irregular ou sem nota fiscal, visando combater a sonegação fiscal e também à concorr√™ncia desleal no mercado paraibano.

Fonte: PB Agora

Comunicar erro
Publicidade/Eletrotech

Coment√°rios

Publicidade/Armarinho Morais