Publicidade

Line-up "fraco" e cancelamento de shows: Público se arrepende e vende ingressos para o Lollapalooza 2023

Por Francisco Marcos Pereira em 18/03/2023 às 10:29:20

Entre um story e outro, talvez você tenha se deparado nos últimos dias com alguém tentando vender o ingresso que comprou para ir ao Lollapalooza, festival que acontece nos próximos dias 24, 25 e 26 de março no Autódromo de Interlagos, em São Paulo. As atrações anunciadas e as mudanças que o line-up sofreu nas últimas semanas fizeram com que muitas pessoas desistissem de comparecer ao evento. O cancelamento do show do Blink-182, que se apresentaria pela primeira vez no Brasil, foi o que mais impactou. O comunicado oficial confirmando a ausência da banda de rock americana no festival foi feito faltando menos de um mês para a apresentação, marcada para o sábado, 25. Os artistas tiveram que adiar sua vinda ao Brasil, pois o baterista Travis Barker fez uma cirurgia na mão. O duo Twenty One Pilots foi anunciado como o novo headliner do dia. “Eu e meu noivo só compramos os ingressos quando o Blink-182 confirmou sua vinda. Era nosso sonho porque é uma banda que fez parte da nossa adolescência. Era uma vontade antiga e ficamos muito empolgados quando conseguimos comprar. Fizemos uma força tarefa para conseguir, porque estávamos de férias, viajando, e pedimos a alguns amigos para nos ajudarem”, contou a jornalista Marina Teodoro em entrevista à Jovem Pan.

Com o declínio da banda americana, ela e o noivo decidiram vender os ingressos. “Ficamos arrasados quando soubemos da possibilidade do cancelamento, antes mesmo da confirmação. Foi algo que planejamos muito, falávamos disso com nossos amigos e todos ficamos bem chateados – principalmente pela demora do festival em se manifestar oficialmente sobre o cancelamento. Vendemos porque o único propósito de pagar R$ 800 em um ingresso era se o Blink estivesse no festival. Sem eles, não faz sentido desembolsar tanto dinheiro para ver bandas que não têm o mesmo apelo para nós”, explicou a jornalista, que levou um prejuízo de R$ 400 com a venda dos dois ingressos. Com medo de não conseguir ver o show do Blink-182, o editor de vídeo Pedro Sampaio decidiu não esperar a divulgação da data exata da apresentação e comprou o Lolla Pass, ingresso que vale para os três dias de festival: “Sempre quis ver eles ao vivo, é minha banda preferida. Vendi porque não teria graça ir ao festival se eles não estivessem lá. Fiquei muito decepcionado”.

O coordenador de viabilidade Lucas Costa estava tão ansioso pela 10ª edição do festival no Brasil que não esperou o line-up ser divulgado para comprar seu ingresso. Ele adquiriu na pré-venda confiando nos rumores de que o Lollapalooza 2023 contaria com apresentações das bandas Blink-182 e Paramore – atração que não chegou a ser anunciada pelo festival e fez turnê solo no Brasil. “Ao analisar o restante do line-up, considerei que já não valeria a pena ir nos três dias de festival e gastar com hospedagem perto do autódromo”, comentou Lucas, que mora na zona Leste de São Paulo e, para não passar 2h30 no transporte público, estava disposto a reservar um hotel. “Foi uma grande decepção e acredito que para a maioria das pessoas que compraram ingresso na pré-venda. Paguei R$ 900 na bilheteria após longas horas de fila e quase vendi por R$1.300, mas a pessoa desistiu”, disse o coordenador, que conhece mais seis pessoas que optaram por vender seus ingressos. A então vinda da banda dona dos hits All the Small Things e I Miss You ao Brasil também deixou o analista sênior Daniel Ferreira entusiasmado. “Foi uma banda que marcou muito minha adolescência. A partir daí o evento ganhou um sentido, que não era um simples desejo de ir ao Lollapalooza só para conhecer, me trazia uma nostalgia muito boa.”

Viagem programada

Como mora no Rio de Janeiro, Daniel já tinha esquematizado tudo para aproveitar o evento em São Paulo. “Eu já estava com hotel reservado, roupas e passagens compradas há muito tempo. Foi uma decepção gigantesca. Eu estava muito feliz e entusiasmado, seria o primeiro show deles no Brasil, com a formação original e do nada anunciam o cancelamento. Acho que talvez maior que a decepção foi a frustração”, afirmou o analista, que explicou que a organização do evento abriu excepcionalmente para o dia 25 a opção de cancelar o ingresso e solicitar o reembolso. “Acabei optando por fazer dessa maneira para não ficar com o ingresso encalhado e também para demonstrar insatisfação com esse cancelamento repentino.” Morador de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, o servidor público Eric Lima também se preparava para viajar a São Paulo para curtir o Lollapalooza. Ele optou por vender seu ingresso, pois achou o line-up geral fraco e também porque desejava assistir ao show de Omar Apollo, outra atração cancelada. O cantor alegou que não poderia mais vir ao Brasil por um “conflito de agenda” e a boyband sul-coreana The Rose entrou no lugar.

“Quando as atrações foram divulgadas, poucos nomes realmente me interessaram, mas como já havia comprado, decidi que iria mesmo assim pela experiência que o festival proporciona. Porém, recentemente, foram anunciados outros festivais que, apesar de menores, têm atrações que me interessam muito mais que as do Lolla. Como não sou de São Paulo, preciso pensar bem quando me deslocar até lá para ir em shows e eventos. Por isso, decidi vender o ingresso e priorizar o MITA e o C6 Fest”, falou o servidor público, que conseguiu vender pelo mesmo preço que pagou, R$ 1.100,00. “A vantagem de comprar na pré-venda é que, se precisar vender, você acha comprador fácil perto do festival porque o preço dos lotes sobe muito conforme o evento se aproxima.” A assistente administrativa Emily Dantas também garantiu seu ingresso antes de divulgarem o line-up, mas acabou saindo no prejuízo: “Comprei por R$1.547,00 e vendi por R$1.000,00”.

Assim como Eric, Emily ficou decepcionada com as atrações como um todo. “Por ser a décima edição [brasileira] do evento, esperava que viriam artistas que estão no auge. Mas me decepcionei com o line-up fraco. Decidi vender ao ver as atrações de um outro festival que me identifiquei mais. Queria ver no Lolla shows do Bruno Mars, Paramore, Blink-182, Maroon 5, entre outros. Seria importante para mim porque são bandas e artistas que eu admiro desde adolescente. Seria a realização de um sonho. Não supriu minhas expectativas”, pontuou. A professora Beatriz Belloti ainda luta para vender seu ingresso, que custou R$ 1.600,00. “Comprei o Lolla Pass apenas para ver o headline do sábado, Blink-182. O Lolla Day esgotou muito rápido e não queria perder o show. Como boa millennial, o Blink-182 era uma das minhas bandas preferidas da adolescência, então seria um momento de realização ver o show deles, sendo essa a primeira vez que eles viriam ao Brasil. Foi uma decepção grande, pois demorou quase um mês para que o festival cancelasse o show e anunciassem a nova atração, que não é do mesmo gênero e que veio a São Paulo no fim de 2022”, desabafou. Além de Blink-182 e Omar Apollo, também estão na lista de desfalques do Lollapalooza 2023 Dominic Fike, 100 Gecs e Willow.

Fonte: Jovem Pan

Comunicar erro
Publicidade

Comentários

Publicidade/Armarinho Morais