Publicidade

Em meio a nova onda da Covid, Ceará não tem previsão para aplicação da 5ª dose da vacina

Reforço é recomendado para pessoas com 60 anos ou mais e que tenham alto grau de imunossupressão (baixa imunidade).

Por Lena Sena, g1 CE em 23/11/2022 às 10:14:58
Em meio a nova onda da Covid, Ceará não tem previsão para aplicação da 5ª dose da vacina - Foto: Otávio Santos/Secom

Em meio a nova onda da Covid, Ceará não tem previsão para aplicação da 5ª dose da vacina - Foto: Otávio Santos/Secom

Em meio a uma nova onda de casos de Covid no país, o Ceará não tem previsão para a aplicação da 5ª dose da vacina contra a doença. O reforço está previsto no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação (PNO) e tem como público alvo pessoas com 60 anos ou mais e com alto grau de imunossupressão (baixa imunidade).

Conforme a Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), até o momento, não há comunicação do Ministério da Saúde sobre o envio e a recomendação da terceira dose de reforço (5ª dose) da vacina no estado.

"A Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) concentra esforços junto aos municípios para aumento do percentual de aplicação das duas doses de reforço da vacina contra a covid-19", informou o órgão.

O Ceará registrou até segunda-feira (21) 3.459 casos de Covid, além de duas mortes pela doença no mês de novembro. O número de pessoas com a doença este mês é quase dez vezes maior do que os casos de todo mês de outubro, que teve 349 casos confirmados, além de 3 óbitos. Os dados são do IntegraSUS, plataforma da Sesa, atualizada na manhã desta quarta-feira (23).

Estados que aplicam 5ª dose

São Paulo foi o primeiro estado a liberar a aplicação da quinta dose, ou terceiro reforço, em junho deste ano. A ação foi seguida por Minas Gerais, Sergipe, Rio Grande do Norte e Pernambuco.

Para receber o imunizante, além de ser imunossuprimido, é necessário que o idoso tenha recebido a quarta dose da vacina há pelo menos quatro meses.

São consideradas pessoas com alto grau de imunossupressão quem:

  • Tem imunodeficiência primária grave;
  • Faz quimioterapia para câncer;
  • É transplantado de órgão sólido ou de célula tronco hematopoiéticas (TCTH) em uso de drogas imunossupressoras;
  • Vive com HIV/Aids;
  • Usa corticoides em doses maior ou igual a 20 mg/dia de prednisona, ou equivalente, por 14 dias ou mais;
  • Usa drogas modificadoras da resposta imune consideradas para fim de elegibilidade a dose adicional da vacina para pessoas imunossuprimidas: Metotrexato; Leflunomida; Micofenolato de mofetila; Azatiprina; Ciclofosfamida; Ciclosporina; Tacrolimus; 6-mercaptopurina; Biológicos em geral (infliximabe, etanercept, humira, adalimumabe, tocilizumabe, Canakinumabe, golimumabe, certolizumabe, abatacepte, Secukinumabe, ustekinumabe); Inibidores da JAK (Tofacitinibe, baracitinibe e Upadacitinibe);
  • Faz terapia renal substitutiva (hemodiálise);
  • Tem doenças imunomediadas inflamatórias crônicas (reumatológicas, auto inflamatórias, doenças intestinais inflamatórias).

Fonte: G1 CE

Comunicar erro
Publicidade

Comentários

Publicidade/Armarinho Morais