Publicidade

72% dos brasileiros não sabem o que faz o STF, diz pesquisa da Quaest

Estudo revelou que população tem poucas informações sobre o trabalho dos tribunais superiores

Por Luana Patriolino em 01/08/2022 às 05:45:46
Sobre a confiança, a consultoria descobriu que apenas 16% confiam muito no STF, enquanto 45% dizem que confiam pouco, e um terço (33%) que não confiam - (crédito: Minervino Júnior/CB/D.A.Press)

Sobre a confiança, a consultoria descobriu que apenas 16% confiam muito no STF, enquanto 45% dizem que confiam pouco, e um terço (33%) que não confiam - (crédito: Minervino Júnior/CB/D.A.Press)

Em meio aos ataques do presidente Jair Bolsonaro (PL) e alguns apoiadores, uma pesquisa da consultoria Quaest revelou que a maioria dos brasileiros não sabe qual é a função dos tribunais superiores, como Supremo Tribunal Federal (STF) e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O levantamento foi encomendado pela Revista Justiça & Cidadania, especializada em temas jurídicos. Segundo o estudo, 70% declararam não saber o que significa a sigla STF. Entre os entrevistados, 78% disse que já ouviu falar o nome e 22% respondeu que não.

Ainda assim, mais da metade se diz pouco (29%) ou nada informada (26%) sobre a atuação do tribunal. Além disso, 72% não souberam citar nenhuma função específica da Corte.

Sobre a confiança, a consultoria descobriu que apenas 16% confiam muito no STF, enquanto 45% dizem que confiam pouco, e um terço (33%) que não confiam. Outros 7% não souberam ou não responderam.

Os entrevistados também não têm muitas informações sobre o trabalho do TSE. De cada dez respondentes, oito (82%) conhecem superficialmente e 12% se consideram "bem informados" sobre o trabalho da Justiça Eleitoral. A atuação do órgão nas eleições é considerada positiva por 42% dos entrevistados, mas 15% avaliam o trabalho negativamente e 37% consideram a atuação "regular".

Enquanto isso, segundo a Quaest, 43% dos entrevistados afirmam confiar muito na Igreja Católica, e 40% confiam muito nas Forças Armadas. Entre os menos confiáveis estão o Congresso (só 6% dizem confiar muito) e os partidos políticos (só 3%).

Fonte: Correio Braziliense

Comunicar erro
Publicidade

Comentários

Publicidade