Publicidade

Presidenciáveis atacam Bolsonaro após prisão de ex-ministro da Educação

Ciro, Tebet e Janones usaram as redes sociais nesta quarta-feira (22/6) para ligar a prisão de Milton Ribeiro ao presidente Bolsonaro

Por Victor Correia em 22/06/2022 às 20:21:51
(crédito: Alan Santos/PR)

(crédito: Alan Santos/PR)

Pré-candidatos ao Planalto criticaram, nesta quarta-feira (22/6), o presidente Jair Bolsonaro (PL) após a prisão do ex-ministro da Educação Milton Ribeiro pela Polícia Federal. Segundo os presidenciáveis, o caso demonstra corrupção no atual governo.

"Bolsonaro diz que fica no governo até quando Deus quiser. Se o pastor Milton Ribeiro cumprir o compromisso cristão de falar a verdade, será um poderoso agente da vontade divina", escreveu o ex-governador do Ceará Ciro Gomes (PDT) em sua conta no Twitter.

Ciro ironizou ainda uma fala de Bolsonaro sobre o ex-ministro. Em 24 de março, o presidente afirmou que botava "a cara no fogo" por Milton. Quatro dias depois, ele foi demitido do Ministério da Educação e Cultura (MEC).

Corrupção

O ex-ministro foi preso hoje pela Polícia Federal (PF) em Santos, litoral de São Paulo. Ele é investigado por corrupção passiva, tráfico de influência, advocacia administrativa e prevaricação por suposto envolvimento em esquema de cobrança de propina para liberação de verbas do MEC.

"A prisão preventiva do ex-ministro e de lobistas por suspeita de corrupção revela todo desmando que virou a Educação neste governo", afirmou a senadora Simone Tebet (MDB). "Corrupção também é marca desse governo. Nas vacinas, na educação, no orçamento secreto", completou.

Já o deputado federal André Janones (Avante-MG) ironizou a situação em suas redes sociais. "Ministro do governo "sem corrupção" preso por corrupção. Taokey?", disse Janones.

Fonte: Correio Braziliense

Comunicar erro
Publicidade

Comentários

Publicidade